6.3.15

Afinal havia outra...



Quais morangos, ananáses, melões, figos, cerejas... Ok, cerejas talvez não... Passa pouco das quatro da matina e eu chego a esta estupida conclusão que aos 40 anos ainda me consigo surpreender comigo mesma ao descobrir que afinal, a par com a cereja, a minha fruta preferida não é o morango e sim a uva vermelha! Se isto se deve a eu já não me lembrar do verdadeiro sabor de um verdadeiro morango? Talvez sim... Ou talvez não... Vem-me à memória um comentário de um amigo de férias: "Oh rapariga tu gostas mesmo de uvas!" - ao ver-me ( de novo) de cacho na mão - o que me deixa ainda mais parva comigo mesma... Como é que um quase desconhecido sabia de facto mais de mim do que eu mesma que só aos 40 anos, às 4 da manhã de um dia qualquer dou por mim a saborear uvas e a pensar que esta discreta fruta fez parte de toda a minha vida e eu nem dei por ela! De tal modo que os meus desejos noturnos das minhas duas  gravidezes nunca foram morangos com chantilly nem sabonete de alfazema e sim... UVAS!
Com estes devaneios me fico porque além de, ser tarde para alguns e cedo para outros, as minhas uvas acabaram.

Sem comentários:

Enviar um comentário