12.5.14

querida L.


Foi com sucesso que neste sábado te contámos a estória do menino que precisava da tua chupeta. Um dia irás saber a verdade e perdoar os teus pais quando souberes que afinal a chupeta esteve sempre na segunda gaveta da nossa mesinha de cabeceira. A mesma chupeta que te iremos guardar na caixinha de recordações que estamos a fazer para ti.
Não nos leves a mal filhota mas já estava na hora de te desapegares. Esta deixou de ser uma amizade saudável para ambas quando a tua amiga do peito começou a deformar a tua boca. Sim, foi naquela ida ao dentista, que tanta piada achaste, que a Dra. disse que muito mais tempo com ela e a deformação poderia ficar mais séria e permanente.

O menino era um bebé e passou a chorar. Um bebé pequenino como a mana. Ele precisava da tua chupeta e tu já não precisas dela por isso ele levou-a agrandecendo-te de coração. Nós sabemos que não gostas de ver bebés a chorar. Sabemos o quanto ficas sensibilizada com isso, por isso achámos que não irias ficar triste, o bebé deixou logo de chorar assim que ficou com a tua chupeta. 
Nessa noite portaste-te heroicamente pensando talvez para ti: "pronto menino eu empresto-te a minha chupeta hoje, mas só hoje". Pior foi quando o Domingo passou e tu apontavas para a porta e dizias "menino, menino", e ele não chegava com ela. Ficaste rabugenta porque não quiseste dormir a sesta sem ela. À noite, exausta , o cansaço ganhou e tu adormeceste. Mas, foram inumeras as vezes que a meio da noite choraste, sentiste-lhe a falta quando a tua barriga doeu. A mãe não te deixou só, foi massajando a tua barriguinha todas as vezes que te ouviu lamentar. Sobreviveste e irás sobreviver. Um dia, quando fores mãe, vais sentir o pesar de quereres fazer o certo mesmo sabendo que isso causará sofrimento ao teu filho ou filha. Sabe que, por muito pequeno que seja, doi a nós também.

Sem comentários:

Enviar um comentário