14.5.14

Das certezas às dúvidas vai um par de horas

Sabemos que não estamos (ainda) no caminho certo quando ouvimos as reclamações do nosso corpo, analisamos o que nos afecta, nos traz ansiedade, stress, angustia e começamos a pensar na nossa auto-cura.
Desde que voltámos de Portugal que não durmo uma noite seguida. Acordo a meio da noite porque ouvi um gemido e corri para pacificar pequenos/grandes corações, volto para a cama e estou mais de duas horas a pensar e a construir vidas que não a minha. Estarei eu realmente contente com este caminho que tenho traçado ou preciso me reinventar realmente?
Acordo já irritada e irritante e todas as pequenas coisas me deixam exausta fisica e principalmente psicologicamente.
Primeira tarefa para me reestruturar será sem dúvida entender a minha filha Laura e encontrar uma forma de sucesso para lidar com ela. Tenho certeza que encontrando o equilibrio neste ponto tudo ficará muito mais claro e simplificado.
Continuar a trabalhar em casa tem sido mais uma opção a ponderar. Para se trabalhar a partir de casa precisa-se de paz, tranquilidade e de concentração absoluta. Não pode haver elementos de distração constantes, gritos, choros e um cem número de elementos do contra. Amo demais as minhas filhas para que fiquem com esta imagem de uma mãe aborrecida que passa o tempo a trabalhar sem lhes dar atenção. Tanto quero estar com elas e no fundo nunca estou.
É importante criar barreiras temporais entre o tempo de trabalho e o tempo de lazer e se para nós, adultos, é dificil entende-las e não ser flexivel em relação a elas para uma criança é impossivel conhecer tal conceito quanto mais respeitá-lo. As horas de trabalho devem ser sagradas assim como as horas em familia o têm de ser. Não importa passar o dia todo com a familia se não se estiver 100% lá, se esse tempo não for de qualidade. As ponderações andam no ar assim como mais e mais decisões que são precisas tomar.

Dentro de alguns meses faço 40 anos. Dentro de alguns meses a Clara terá um ano e cada vez será mais e mais independente. Planear, decidir, criar caminhos e objectivos.  Iniciar uma nova carreira profissional, reatar uma que ficou para trás ou dar continuidade ao trabalho até aqui desenvolvido dando o salto para um outro nivel de maior profissionalização e menos hobby? 
A minha lista de interesses é infindável. Talvez isso não facilite em nada o leque de escolhas e decisões. Ponderar o gostar com a melhor opção monetária é um tiro no escuro nos tempos que correm. Ter a certeza do passo certo e pensar que será (ou deveria ser) o definitivo. Isto tudo com uma bebé a gritar nos nossos ouvidos no tom mais agudo que as cordas vocais permitem. Happy days! Resta-me esta felicidade urgente de estar viva e querer muito ser feliz e completa.

Sem comentários:

Enviar um comentário