22.1.14

Longas são as noites...



Primeiro é a Clara que chora. Terá dores de barriga? Será a fralda? Talvez tenha fome... 
Os padrões de alimentação da Clara são... como direi... inexistentes. Se com a Laura eu implementei um padrão de alimentação, uma vez que fiquei sem peito após a 1ª semana, a Laura passou a tomar biberon de X em X horas, sempre a mesma quantidade. Depressa a Laura dormia cerca de 6 horas seguidas durante a noite. Com a Clara, e tendo o leite materno nunca sido suficiente e secado depressa, o processo foi o mesmo mas sem qualquer tipo de sucesso. Cheguei a um ponto que sentia que a minha Budinha não era feliz, chorava imenso e passava a noite esfomeada. Decidimos fazer-lhe um biberon de três em três horas. Ela chegava a demorar mais de uma hora para beber um biberon. Logo, passaria quase todo o tempo de biberon na boca e por certo não sentiria fome.

Depois foi o tipo de leite. Com o primeiro que usámos parecia que não o digeria bem e com facilidade. Daí demorar tanto a bebê-lo e deitar bastante fora. A segunda opção deu-lhe imensos gazes. Como não há duas sem três, e tendo em conta que detesto estar sempre a mudar-lhe o leite e a causar stress e desconforto no seu delicado estômago, a escolha teve der ser ainda mais cuidadosa. Foi assim que o leite orgânico entrou na nossa vida e na vida da Clara.
Hoje a Clara já conseguiu adquirir um, ainda frágil, padrão alimentar mas tem noites que não adianta. Não fica satisfeita, não sei bem porquê, e passa a noite acordada até beber quase um litro de leite! 
Quando por fim a minha Budinha acha que está na hora de dormir... são isto umas 5:30... Chega a vez da Laura. É preciso mudar a fralda. Estando a minha Pituquinha adoentada, pouco come durante o dia e nada de jeito, o meu coração de mãe sugere-me que lhe prepare um leitinho. Quando chega finalmente a vez de adormecer... ou é hora de acordar ou cai uma insónia e passo mais um tempinho à procura do tão desejado móvel para a sala de jantar nos meandro tentadores do eBay. Conclusão... tenho umas olheiras do tamanho de um mocho e o trabalho não rende nem um bocadinho.

Nota: Não tenho certeza mas eu acho que isto com as mamas a funcionar a 100% deve ser um descanso... se puderem amamente... é bom para a alma, para a carteira, para a almofada, para o corpo e perfeito para os estômagos delicados das vossas estrelinhas.

Sem comentários:

Enviar um comentário