28.9.17

as memórias do equinócio [imperfeições alheias]

No passado dia 21 ocorreu o Equinócio de Outono e dentro de um mês aproximadamente entraremos na chamada hora de Inverno, embora em termos de temperaturas ainda nos sintamos em pleno Verão.
Para mim há um encanto pueril nos dias outonais, nas cores ocres e quentes que começam a desenhar-se nas folhas das árvores que criam tapetes harmoniosos ao caducarem nos primeiros meses da estação que nos prepara para o frio e a chuva; desde miúda que sempre me senti mais feliz a partir dos últimos dias de Setembro, com mais vivacidade no rosto, menos cansaço no corpo e mais alegria no olhar. 

 Há décadas atrás, porém, a diferença entre estações era mais notória e havia o tempo certo das coisas; as frutas de outono começavam a ser vendidas, as temperaturas iam suavemente baixando e os dias iam decorrendo a preparar a azáfama do regresso à escola, das mudanças de vestuário nos armários e nos amanheceres mais escurecidos e entardeceres mais cedo.
As pessoas começavam a resguardar-se para se prepararem para o inverno e no ar os cheiros de orvalho matinal enchiam as casas durante as manhãs semanais agora mais preenchidas por novas rotinas; era o regresso aos estudos, às primeiras impressões na escola sobre novos colegas e professores, a alegria de escolher novo material e começar a mimar as noites com jantares mais alimentícios e reconfortante. E os trabalhos de casa feitos com vontade e agilidade para depressa se ir brincar na rua com os amigos do bairro, era o tempo da “Macaca” e do “esconde-esconde”, de saltar à corda e ao elástico…
As roupas agora mais quentes, o calçado protector e as cores que ganham tons de cobre, de verde seco, de cinza e de amarelo torrado nos pores-do-sol que tão bem fazem à alma.
Tenho alguma saudade do verdadeiro Outono, da época em que as estações estavam definidas e se sentia a transição entre os dias de calor e de frio ou chuva, quando tudo tinha épocas próprias e os sabores eram fidedignos e quando a espera valia a pena entre Equinócios e Solstícios.
As vindimas que uniam famílias, as colheitas que repunham mesas fartas, os enfeites produzidos com o que a natureza partilhava e o embelezar de ruas com o espírito próximo dos dias de festas durante novembro e dezembro.
Havia um encanto nos outonos da minha infância e adolescência, um tempo de serenidade que nos unia mais à natureza e um companheirismo entre as pessoas que parecia ser ajudado pela rotação da terra e as mudanças entre praia e campo, entre sol e lua e entre calor e frio.
Talvez pareça um pouco esquisita esta nostalgia mas hoje há uma sociedade de consumo onde tudo é possível a toda a hora, onde não há tempos próprios e onde até o crescimentos das crianças parece ganhar uma dimensão futurista e sem valores harmoniosos ou aconchegantes. A natureza tem sido fustigada, o planeta indicia vontade de se vingar e andamos numa roda viva onde tudo se mistura como numa centrifugadora prestes a avariar.

Mas com um sorriso no rosto procuro a cada nova estação o que dela ainda subsiste de melhor e faço-a reviver à minha maneira, sem modas ou subjugações sociais; reconstruo as memórias boas da adolescência e permito-me saborear cada coisa a seu tempo dentro dos possíveis.
E quando não se pode fisicamente, imagina-se!!!
Há lá melhor maneira de criar raízes e fortalecer laços do que imaginando, sonhando e pintando vivências em tons de mel e abóbora?

por Nádya Prazeres

2 comentários:

  1. Adoro o Outono, por tudo isto que mencionaste minha querida Nadya :) E sei bem o que sentes ao ter essa nostalgia, acredita, lembro me sempre das vindimas em casa dos meus avos, das roupas mais quentinhas, de calcar as galochas e saltar nas poças de agua enchidas pela chuva. E tens toda a razão o nosso planeta esta doente e a culpa e da humanidade que não o sabe estimar pois julga que depois da morte tem uma vida melhor... mas o que eles não sabem e que esta vida e o nosso melhor presente.
    Bjinhosss
    https://matildeferreira.co.uk/

    ResponderEliminar
  2. Eu também gosto do Outuno ainda não está muito frio e as folhas a cair deixam cenários tão bonitos!!

    Novo post: http://abpmartinsdreamwithme.blogspot.pt/2017/09/os-batons-liquidos-matte-que-eu-quero.html

    Beijinhos ♥

    ResponderEliminar