5.6.17

monday mood

um dois três
Às vezes é preciso parar, descansar, limparmo-nos do que nos incomoda, do que nos suja e nos atormenta. Há dias, talvez horas, em que precisamos fechar-nos para o exterior na expectativa de conseguirmos curar o nosso interior... and that's ok.
Lamentamos as perdas por demasiado tempo e celebramos as vitórias num leve contentamento tímido. Ruímos ao primeiro embate e não nos fortalecemos com os caminhos que vamos abrindo. Somos seres duros de contentar mas somos pessoas fáceis de matar. Não tem de ser assim, não deve ser assim.

Há tempo para tudo, há que relativizar o negativo e engrandecer as pequenas conquistas, justamente o oposto do que tão solenemente entendemos fazer com a nossa vida, o nosso coração e a nossa alma. Não faz mal parar e refletir no que se conseguiu e no que não se conseguiu, não faz mal concluirmos que respirámos mais vezes do que as que não o fizemos, levantámo-nos mais vezes do que aquelas que caímos, acordámos mais vezes do que as que adormecemos, viveremos sempre muito mais do que as que morremos porque a morte é um ponto final enquanto a vida é um ponto, uma virgula, reticencias, ponto e virgula, um ponto de exclamação ou interrogação, dois pontos, a vida é muito mais do que acentuação, pontuação, erros ou correções. A vida é paragem, recomeço e continuação... and that's ok.

Sem comentários:

Enviar um comentário