16.11.16

vidas [quase] perfeitas

Este meu blogue tem sido a reprodução do meu percurso. Nele tenho depositado as minhas conquistas, algumas frustrações e algumas dicas que decorrem das minhas próprias experiências de vida e daquilo que aprendo com elas.
Nas últimas semanas tenho refletido muito sobre este meu caminho, tenho tentado perceber onde quero que ele me leve e definir muito bem essas metas. Sou uma pessoa que facilmente se dispersa em sonhos. Quero sempre mais, quero abraçar este mundo e o outro. Antes de chegar a um destino já estou a pensar e a planear outro, isso causa distração do que é fundamental e determinante para mim.

Este meu espaço de partilha tem me ajudado a manter algum foco. Nele tenho sonhado e concretizado.
Por querer colocar o mundo sempre em ordem, o meu e o dos outros, tenho frequentemente de parar e repetir para mim mesma: "a vida não tem de ser perfeita".
O nome deste blogue é longo, talvez não seja fácil de decorar à primeira, mas é o que me recorda de que sou apenas humana, jamais conseguirei chegar a todo o lado e por isso mesmo devo ter sempre em mente aquilo que é fundamental e no qual tenho de manter o meu foco. Este é portante o meu diário, o meu caderno de lembretes, o meu momento de inspiração, de parar, recapitular e retomar ou recomeçar.

Eu sei que não sou a única. Somos muitas a perdermo-nos num oceano de "tem de ser", "preciso ser", "não consigo","não posso"... Somos ainda mais as que, após a maternidade, se baralham no caminho, ficam na rotunda do choro, da mama, da fralda e das cólicas e, de um momento para o outro percebem que já não sabem qual era a direção, a direção delas, porque caminham pelos caminhos dos demais elementos das suas vidas. Somos tantas as que nos esquecemos dos nossos sonhos entretidas que ficamos nos sonhos dos outros.

Caminhei meses por um mar de limbo, experimentei muito, achei-me e perdi-me muitas vezes. Hoje sei o que quero, sei ainda melhor o que não quero, tenho um caminho traçado que às vezes ainda me foge e é quando eu repito para mim: "a vida não tem de ser perfeita", aceito as imperfeições que ela me traz, contorno-as e retomo caminho, assim vou ficando mais perto dos meus sonhos, assim vou realizando os meus objetivos, assim vou descobrindo a felicidade de voltar a ser dona de mim.

É aqui que descubro o quanto sou teimosa e determinada, o quanto não me conformo com algumas imperfeições, embora às vezes as tente ignorar e muitas vezes as ultrapasse para minha sanidade mental. Sei que não sou capaz de resolver os males do mundo, de ajudar todas as mulheres que, em qualquer ponto das suas vidas, se perdem dos seus caminhos. Talvez não seja capaz de o fazer sozinha mas talvez o consiga fazer contigo e com todas as que um dia se perderam dos seus sonhos.

Se de alguma forma te identificas com aquilo que escrevi então segue o link -  vidas [quase] perfeitas - tudo ficará mais fácil se nos unirmos em vez de nos atacarmos, se nos ajudarmos em vez de nos condenarmos. Vem daí conhecer:


4 comentários:

  1. Bom dia Cris
    Este post podia ter sido escrito por mim (se eu soubesse escrever assim). E já lá estou no novo grupo.
    Adorei ler um texto assim logo pela manhã.
    Tem um excelente dia
    Beijinhos
    Marta
    http://pitinhosdamarta.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom dia Marta :)

      Então encontramo-nos por lá.

      Muitos beijinhos
      Cris

      Eliminar
  2. A vida não tem mesmo de ser perfeita... pois não vivemos mesmo em nenhum mundo perfeito... e não podemos ter tal exigência de nós mesmos...
    Para se viver bem, tem mesmo de se saber conviver com a imperfeição... nossa e dos outros... sonhar com o possível... e torná-lo o melhor que sabemos e podemos...
    A perfeição... implica estagnação... algo que não carece de ser melhorado...
    Adorei o texto!
    Beijinhos
    Ana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que a sociedade nos exige demais e nem sempre é fácil lidar com essa exigencia e passamos nós a achar que não somos suficientes...

      Beijinhos

      Eliminar