3.11.16

a beleza está na curva [ imperfeições alheias ]


Alguém escreveu que o sorriso é a mais bela curva do corpo de uma mulher.
Parece-vos um clichê? - bem, talvez até seja mas para mim tornou-se numa expressão de auto-estima feminina, de empoderamento e luta pela abolição de estereótipos sociais.
 É claro que os homens também sorriem e também nos seduzem com seus sorrisos mais ou menos sensuais, mas a questão desta frase, que já se espalhou pela internet em variadas fotos e montagens, é a de ter proporcionado amplo debate sobre a questão da diversidade de corpos femininos e do quanto a sociedade venera uns em detrimento de outros.
 Sabemos que ao longo dos séculos a sensualidade feminina tem sido vista como arma do demónio, arma poderosa para derrubar hegemonias masculinas; a velha história de que a luxúria é obra do diabo em forma de mulher tem dado material de sobra para cinema, música, teatro, literatura, pintura e afins e até a publicidade não escapa aos anúncios que vendem a célebre ironia de que os homens comandam o mundo, mas sempre com uma mulher por trás (vá-se lá entender a metáfora).

As mulheres nascem e crescem com variados tipos de fisionomia tal como os homens, sendo umas mais magras e altas, outras mais baixas e avantajadas, outras assim-assim mas todas mulheres com direito a uma sociedade que não as julgue pelo físico como se fosse esse o único passaporte para a sua verdadeira identidade. Mas parece persistir um estereótipo social de que os homens preferem as loiras ou as altas ou as que torneiam seus corpos em ginásios e fazem plásticas como quem compra um par de sapatos, isto pelo menos no cinema ou veiculado nos anúncios e nas fotos recorrentes que têm mais seguidores em qualquer das redes sociais da moda.

 E se nos últimos anos temos assistido a uma mudança no mundo masculino com o surgimento de diversas modas, cosmética ou definições disparatadas como metrossexual, lumbersexual e afins continuamos a perpetuar que na mulher tudo tem de ser perfeito, de acordo com os padrões da maioria, e estas têm de enfrentar mil e uma tarefas diárias sem pestanejar ou perder o equilíbrio.

Nos últimos tempos tenho entendido que não pode ser a sociedade a controlar o ser humano mas sim o contrário, e que a beleza está nos detalhes e não na "embalagem" com que vamos crescendo ao longo dos anos; a pele ganhará rugas, os músculos ficarão flácidos, a força irá ser menor, os cabelos perderão a cor viva de outrora e a velhice chegará a todos os que tenham a sorte de viver muitos anos por aqui.
 É por isto tudo que o sorriso é realmente a única curva que perdura no corpo de uma mulher e de um homem, já agora!»

por Nádia Simão

2 comentários:

  1. Mais um texto incrível! E com o qual me identifico!
    Também concordo! Não procuro a perfeição... que nunca tive... procuro sentir-me bem comigo... e na minha pele... e com os meus cabelitos a esbranquiçar... esperando um dia tornar-me uma giraça, como a que nos mostras na foto!... E sempre sorridente...
    Bjs
    Ana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também tenho como guia a minha própria opinião, se me sinto bem não mudo se não gosto ou me sinto mal... tento mudar... Se os outros gostam ou não... é problema deles... ;)

      Beijinhos, volta sempre :*

      Eliminar