13.10.16

trabalhar em casa e com crianças é possível



Trabalhar a partir de casa nem sempre é fácil, eu que o diga. Se por um lado não temos de enfrentar as intempéries do tempo, o transito e os transportes públicos a abarrotar por outro lado temos um sem numero de distrações que nos afastam do essencial e alguma dificuldade em manter a motivação necessária para não largar o trabalho e ir dobrar a pilha de roupa que nos está a pesar na consciência.
Eu tenho a agravante que trabalho em casa com crianças em casa mais de metade do meu tempo de trabalho. Imaginem como seria se tivessem de levar os filhos para o trabalho todos os dias. Pois é... não é fácil mas mesmo com as mil queixas e desesperos que me assolam de vez em vez, não o trocaria por nada, até porque sei que para o ano vou ter mais umas horinhas extras de home alone.
No decorrer dos anos tenho tentado captar o que me ajuda neste processo de trabalhar em casa e com crianças e hoje venho deixar algumas dicas:

  1. Vestir em conformidade - não me maquilho, nem visto fato completo, trabalho muito com materiais que estragam a roupa à mais pequena distração e provavelmente nem seria assim que me vestiria se o meu espaço de trabalho fosse a km de casa. Visto-me de forma prática mas faço a rotina que faria de manhã se fosse trabalhar fora. Inclusive tomo o pequeno-almoço e calço-me.
  2. Espaço de trabalho - infelizmente o meu espaço de trabalho tem sofrido mudanças cá em casa devido às necessidades familiares. A casa não deixa de ser lar em primeiro lugar. De qualquer forma tento trabalhar na divisão da casa que mais luz tem e que mais me sinto confortável. Conforto, organização e ambiente é importante para nos sentirmos bem enquanto trabalhamos. 
  3. Saber parar - há imensos momentos do dia em que as minhas filhas me procuram, estou tão perto e ao mesmo tempo tão longe e isso por vezes pode causar-lhes estranheza e confusão. Parar sempre que se cumprir um ponto da lista de trabalho do dia para verificar se as crianças têm fome, se precisam de alguma coisa, trocar dois dedos de conversa, abraçar, tomar um café, comer uma fruta. Isto diminuirá a probabilidade de ser interrompido a meio de um raciocínio o que nos fará perder ainda mais tempo para retomar o fio à meada deixando-nos frustrados.
  4. Agendamentos realistas - Não há nada melhor do que chegar ao fim do dia com todos os itens da nossa lista diária de trabalho riscados. Dá-nos uma sensação de missão cumprida, de produtividade e realização pessoal e profissional. Neste tipo de situação, em que trabalhamos em casa e com crianças por perto, devemos saber de antemão que não conseguiremos a produtividade que poderíamos conseguir se estivéssemos sózinhas em casa ou num outro local de trabalho. Ao organizar a nossa agenda é importante ter isso em conta e traçar objetivos realistas e metas alcançáveis. - Preciso trabalhar mais este ponto, ainda sou uma principiante nesta alinha.
  5. Socializar - não existe maior consumidor de tempo do que as redes sociais, emails e telemóvel. Limitar esse tempo é essencial e necessário. Decidir em que altura do dia se vai fazer as chamadas telefónicas necessárias, promover nas redes sociais ou responder aos emails, definir o tempo que irá ser dedicado a isso e, o mais importante, ser firme na cronometragem do mesmo.
  6. Manter o foco - a nossa casa é um mundo de distrações e tentações. A pilha de roupa para passar, a loiça do almoço para arrumar, os livros para ordenar, os brinquedos espalhados pelo chão..., se fores como eu, que não consegue conviver com a desordem, esses serão tudo motivos para parares o que estás a fazer e ires lavar a loiça e depois olhas para o lado e vês que o fogão está sujo, os armários desarrumados, o chão precisa de uma vassourada e o tempo passou e a casa está com um bocadinho melhor aspeto mas tu estás triste, desanimada e frustrada. A tua agenda tem todos os pontos por cumprir, o dia está a terminar, tu estás cansada e já te custa pensar, onde ficaste mesmo? Define um dia da semana para as arrumações mais profundas (passar a ferro, aspirar, limpar o pó, etc) e mantêm-te fiel a ele. Tenta manter a casa mais ou menos em ordem durante o resto da semana guardando uns minutos ao fim do dia para arrumar o que desarrumaste. Tenta sensibilizar o resto da família a fazer o mesmo, se todos arrumarem o que desarrumaram durante o dia, ninguém fica sobrecarregado.
  7. Relaxar - por vezes, ao trabalharmos em casa, corremos o risco de confundirmos o trabalho com a vida pessoal. Às vezes estou apenas a ver um filme e podia estar também com o computador ao colo a escrever o artigo do blog para segunda-feira, mas que desperdício de tempo. Errado! Parar e fazer apenas uma atividade lúdica não é uma perda de tempo, é fundamental para a nossa sanidade mental e familiar. Retirar, pelo menos, um dia da semana da agenda. Nesse dia não existe agendamento, vai-se vivendo, vai-se programando ao passar das horas, vai-se fazendo o que nos dá prazer, vai-se sendo dos que nos querem bem.
Se conseguires respeitar estes sete pontos, trabalhar em casa e com filhos por perto não é impossível. Não é fácil, é muito mais difícil de gerir e gasta muito mais das nossas energias físicas e emocionais, mas é possível. E, se for para realizarmos um sonho, vale a pena.


4 comentários:

  1. Bom dia
    Trabalho fora mas tenho a sorte de morar na mesma cidade em que tenho o emprego. Isso faz com que não tenha de apanhar transportes nem perder muito tempo no transito.
    Mas o tempo em que estou a trabalhar no meu atelier (que é um ponto de passagem da minha casa, não uma divisão completa), tenho sempre outras coisas para fazer. Ou tenho de ir por a roupa a lavar, ou fazer o jantar ou apanhar a roupa... E ao fim de semana que estamos todos parece que as tarefas crescem... Já cheguei a comentar que para mim não dava para ter o atelier em casa se esta fosse a minha única ocupação profissional. Isto quando estou stressada com alguma entrega. Mas depois penso: apesar de tudo acho que ia ser capaz sim. Assim estamos todos juntos mais tempo, ouvimos musica e cada um faz as suas coisas.
    Já faço muitas das coisas da tua lista (só não me aperalto ao fim de semana), mas se tiver de parar para ver um filme ou um concerto paro sim. Depois o trabalho até corre melhor.
    Beijinhos e bom fim de semana
    Marta
    http://pitinhosdamarta.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Marta :)
      Eu não trabalho a não ser em casa e também não me aperalto... quando falo na roupa refiro-me a evitar trabalhar de pijama. No teu caso, pelo que percebi, o trabalho que fazes em casa em essencialmente nas tuas horas livres porque durante a semana tens um trabalho full-time que te leva para fora de casa. Neste caso é normalmente que te distraias com mil e uma tarefas domésticas porque acabas por ter imenso que fazer em muito pouco tempo. Acredito que se o teu trabalho full-time fosse o teu artesanato conseguirias cumprir a lista acima e manter o teu atelier em casa ;)

      Beijinhos

      Eliminar
  2. E acho que resumiste mesmo o essencial de forma fantástica!...
    Trabalhar a partir de casa tem as suas vantagens e desvantagens... mas gerindo bem as distracções, e os afazeres incontornáveis... é tão mais compensador!...
    Adorei o teu post!
    Beijos
    Ana

    ResponderEliminar