25.9.15

Depois dele ser pai [e eu mãe]


Já lá vão quase 4 anos sem ler um livro, um romance mais própriamente, começar e acabar. Desde que a L. nasceu que tive de abdicar de algumas coisas que me davam imenso prazer e com a vinda da C. a falta de tempo para essas coisas acentou-se ainda mais. Sei que muito provávelmente daqui a um ou dois anos eu vou voltar a ter o meu tempo e nós o nosso tempo, talvez não todo de uma vez mas aos poucos, a acompanhar o crescimento, maturidade e independência delas.
Eu tento mostrar ao D. que o tempo que ele passa a jogar no telemóvel é tempo que nos tira aos dois porque a loiça que ele não põe na máquina é a que eu terei de pôr em algum ponto do dia, talvez na altura que me iria sentar no sofá ao seu lado a ver um filme. Tento explicar que eu deixei de fazer tantas coisas que gostava porque não posso, o tempo não dá para tudo e temos de o usar da melhor maneira de forma a, pelo menos, conseguirmos tempo, se não para nós individualmente para nós em conjunto, para a nossa relação.
É nesta troca de palavras que surge o desafio de hoje. 10 coisas que cada um de nós deixou de fazer ou que simplesmente mudaram depois de termos sido pais.

Diz ele:
  1. Poder decidir à última da hora um itinerário e arrancar;
  2. Dormir até tarde;
  3. Acordar com os miminhos dela ;
  4. Sentar à mesa para uma refeição sem pressas e sem stress;
  5. Jogar wii com ela ou a solo;
  6. Ver a casa arrumada mais do que 10 minutos;
  7. Ver um filme, fora ou dentro. 
Digo eu:
  1. Dormir uma noite inteira;
  2. Ler um romance atrás do outro;
  3. Sair num Domingo de manhã cedo para ver o mar;
  4. Tomar um duche calmamente quando me apetecer;
  5.  Preparar uma surpresa para ele;
  6. Jogar wii com ele;
  7. Fazer ginástica matinal na wii;
  8. Trabalhar no jardim sem ser incomodada;
  9. Arranjar um emprego e ir (sem ter de pensar se posso, se o horário dá, se terei creche para elas...);
  10. Acompanhá-lo na distribuição de gelo;
  11. Ver um filme sem interrupções;
  12. Sair a dois e não ter hora para voltar;
  13. Fazer compras sem me chatear ou preocupar com horários;
  14. Não passar o tempo a apanhar coisas do chão (brinquedos, livros, roupas, papeis...);
  15. Não almoçar se não me apetecer;
  16. Beber sangria sem me preocupar em manter a sobreedade suficiente para mudar fraldas e passar a noite acordada (se for preciso);
  17. Estudar inglês;
  18. Seguir os meus sonhos sem pensar duas, três e mil vezes;
  19. Viver sem medo de nada;
  20. Sorrir e sentir a vida leve.
Ups! Eram só 10 não era? Só prova que, por muito boa vontade que o homem tenha, a vida da mulher é a que mais muda com a chegada de um rebento. Com isto não quero provar nada de especial nem mesmo mostrar qualquer arrependimento. Há muita coisa que muda para melhor, são coisas menos evidentes e que não são muitas delas visíveis ao olhar, mas são muito maiores, mas isso daria (ou dará) outro post.

fotografia por | photography by: Viktor Hanacek

Sem comentários:

Enviar um comentário