3.4.15

As novidades do silêncio


Estou feliz!
Começar um texto assim traz uma responsabilidade acrescida mas na verdade estou mesmo. 
Esta ausência deveu-se a um bom motivo e estou certa que compreenderão.
Este ano começou com uma promessa a mim mesma: Encontrar-me profissionalmente.
Após 4 anos de artesanato na área das festas que muito prazer me deram e que me permitiu permanecer mentalmente sã durante os primeiros anos da maternidade, vejo chegado o momento de repensar o futuro. Quero mesmo continuar nesta área de trabalho? Design de interiores? Fotografia? Dou por mim a divagar. Abro um livro que me diz mais ou menos isto: imagina um dia na tua vida como (por exemplo) Designer de interiores. Cheguei mesmo a colocar no papel um dia na vida como artesã com loja Etsy. Imaginei um dia como Decoradora. Cheguei a ver-me como fotografa. Em todos estes dias imaginados senti o mesmo... senti que estava a retirar a plenitude relaxante que hoje sinto em cada momento passado a fotografar, em cada coração que coso ou em cada transformação que faço em casa. Porque nem tudo o que gostamos de fazer e pelo qual nos interessamos funciona quando passa a ser um dever, nem sempre mantem o mesmo sabor e a mesma magia que nos agarra ao momento, talvez por deixar de ser UM momento, ou talvez porque passamos a responder ao que os outros nos pedem e não apenas ao nosso gosto e vontade pessoal.
O desafio está mesmo aí. Conhecermo-nos de tal maneira que nos permita encontrarmos o equilibrio total de algo que gostamos, pelo qual temos interesse, habilidade e motivação. Foram dias de pesquisa, de pôr no papel emoções, necessidades, gostos, habilidades, responder a "ses" e a "comos"... traçar um plano e finalmente começar.

Sunny Dot é o começo daquilo que quero. Com a decisão de ressuscitar um projecto que tinha colocado de lado há pouco mais de um ano. Juntou-se a necessidade de conhecimento, de saber responder da melhor e mais completa forma ao desafio que se inicia. Tenho estudado muito e sei hoje que, com esforço, motivação e certeza do caminho que se escolhe, nada é impossivel, pode ser difícil, delicado, envolve com certeza uma dedicação extra mas somos seres capazes de coisas extraordinárias, basta querermos muito.
Saio assim de uma área essencialmente criativa e manual para entrar numa área mais de letras e relações humanas. Saio da minha zona de conforto e vejo-me rodeada de desafios motivadores e ideias mil. Se isso é mau? Não, faz-me sentir viva e carregada de esperança. Se me faz ter medo e incertezas? Sem dúvida, mas mais medo teria se não me tivesse sido dada esta oportunidade de escolha. De escolher de que forma quero realmente passar o resto da minha vida.

Background image by | Imagem de fundo de: Grace Adams

Sem comentários:

Enviar um comentário