30.5.14

Há casas e há pessoas

Há casas onde apetece estar. Não que a decoração nos agrade particularmente, nem que tenham um cheiro doce e peculiar, não que nos encham de rebuçados (como fazia a vizinha de baixo nos meus tempos de criança). Não, simplesmente deixaram de ser casas há muito e isso sente-se no ar. Passaram a ser lares, passaram a ser familia, aconchego, amor. São casas assim que me fazem querer voltar, não pela casa, pelas iguarias, mas sim pelas pessoas, pelo seu despojo, o seu à vontade que nos faz sentir também em casa, o seu abrir de porta, o cumprimentar caloroso, o despedir amigável e pelo meio a conversa saborosa, sem rodeios, sem cuidados e cheia de desprendimento e de desejo de ouvir, querer saber e também de gostar de partilhar. Porque isto das amizades é um conceito muito próprio de partilha que não está implicito mas que acontece naturalmente. Só assim as amizades ficam, só assim apetece voltar.
Obrigada A. e D. por nos terem recebido tão bem.

Sem comentários:

Enviar um comentário