8.2.14

"Me time"

A casa silênciosa... significa crianças AINDA na cama. 

Há coisas no nosso comportamento que não dá para entender. Estamos mortinhas por que o nosso rebento comece a dizer "Mãe", certo? Quando finalmente o click se dá e a criança começa a dizer "Mãe mãe mãe mãe" de 5 em 5 minutos estamos mortinhas por ouvir o silêncio... é daquelas coisas sem explicação mas que explica que eu não consiga concentrar-me para aqui vir deixar umas linhas, que tanta falta me fazem...


A gravidez da Clara foi por si só tão insegura e stressante que não me quis nem conseguiria restringir os meus habitos alimentares. Comi muito, especialmente coisas açucaradas pelas quais tenho uma simpatia preferêncial e quase doentia. São elas as minhas companheiras de angustias. As que estão sempre lá nos momentos mais depressivos. As que me levantam o humor quando só apetece chorar. São elas que estão logo à mão quando me dá nos nervos... enfim... quase diria que seriam as minhas melhores amigas se não me apunhalassem pelas costas na hora de ir à balança. Pois na gavidez da Clara comi, comi este mundo e o outro. Ganhei peso, eu e ela, felizmente (ou não) não contraí diabetes o que não me condicionou a ingestão de açucares. Foi realmente uma "alegria", mas não podia ser de outra maneira.
A Clara nasceu, saudável, fofa, linda,... O corpo desinchou um pouco mas as minhas queridas amigas que estavam sempre lá nos piores momentos deixaram marcas. 
2014, cerca de 3 meses depois da Clara nascer, é chegada a hora de encarar uma dieta de frente e sem hesitações, mas está complicado...
Este stress permanente que se instalou em mim com a vida corrida de dar atenção agora a duas crianças/bebés (e não apenas a uma), o trabalho exigente de quem procura lançar um negócio próprio para a frente, a vida doméstica para organizar e o D. - que no meio de tudo talvez seja o que fica com a menor fatia do bolo - para não falar, claro está, do tempo para os amigos, que ficam a perder e o, tão negligênciado e tão necessário, "me time".

Esta semana, que está no fim, ganhou em "me time" e perdeu em trabalho. Estava mais do que na hora de pôr um pouco de brio na minha pessoa e motivar a parte física do meu ser. Para além de desbastar o mato que se alojava em volta dos meus olhos, pôr uma cor nas mãos, uma mudança mais radical era exigida. Entre pintar o cabelo de loiro e cortá-lo achei a segunda opção mais a minha cara. Foi assim que deixei quilos de cabelos na cabeleireira e comigo trouxe uma leveza suave nos ombros. Agora só falta mesmo perder os quilos que andam a incomodar - é uma pena que não saíam com o corte de uma tesoura num cabeleireiro qualquer - e serei, ou voltarei a ser, a pessoa que preciso ser para encarar uma vida assim... corrida.

Trabalho atrasado mas motivação em alta... estivesse a motivação para fechar a boca também tão em cima!

Nota: se houver alguém por aí com um milagre qualquer para perder peso ou a precisar de unir forças para criar motivação... estou aberta a sugestões! ;)

3 comentários:

  1. A precisar de motivação para começar aquilo que deixei em Abril do ano passado ... sim estou a falar da dieta saúdavel que fiz (eu e o marido), mas que aos poucos perdeu expressão. Também aqui é preciso muita motivação, mas que com a cabeça com tantas outras preocupações, as prioridades tem sido outras. Mas sim vamos lá começar a colocar as prioridades no lugar e mantermo-nos ficadas no que realmente queremos. Beijinhos e bom fim de semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Carla :)
      Vamos lá então a fechar a boca :D Isto de dietas com homens à mistura nunca dá muito resultado... o melhor é disciplinarmo-nos a nós mesmas ;)
      Eu, sem um grande sacrificio, tenho conseguido perder algumas gramas por semana, felizmente. Precisava de perder um bocadinho mais rápido mas sem fazer grande exercicio além do exigido no correr do dia a dia, podia ser pior... Com um bocadinho de cuidado com o que metemos à boca conseguimos! Força! Bjinhos e boa semana.

      Eliminar