16.6.17

diário de uma vida e ponto

"Já falei aqui de óleos essenciais mas ainda há muito para dizer. Conforme me vou deixando conquistar pelos óleos vou conhecendo mais e mais sobre as suas propriedades e possíveis utilizações..."


O post de hoje começava assim, ia falar-vos de como podemos substituir tantas coisas que nos fazem tão mal por óleos naturais, isto se na quarta-feira não tivesse acordado com esta notícia que me deixou com um nó na garganta, um aperto no peito e muito pouca vontade de escrever.
Ontem não me atrevi a dizer palavra, eu sou assim, quem segue o blogue sabe que escrevo mais com o coração do que com a cabeça por isso, mantive-me afastada daqui.

Sempre atenta aos desenvolvimentos sobre o acontecido, fui partilhando informação no meu perfil pessoal do facebook e houve algumas notícias especiais que me abraçaram o coração como por exemplo esta ou esta,   pessoas que se uniram, sem importar a raça, a nacionalidade, a religião, estrato social, restaurou a minha esperança no ser humano.
Também ontem partilhei a notícia de uma jovem portuguesa que nos ensina como se reage às dificuldades. A Inês Alves tem 16 anos e vivia no 13º andar do prédio que ontem ardeu em Londres. A meio da noite Inês vestiu rapidamente umas calças e uma camisola e saiu para a rua com o seu telemóvel e os apontamentos de química. Ela nunca imaginou que proporção o "pequeno" incêndio iria tomar, as suas acções foram tomadas de forma preventiva e, dessa forma, ela achou que levando os apontamentos seria uma forma inteligente de aproveitar o seu tempo para rever a matéria para o importante exame que iria ter no dia seguinte.
 


O incêndio foi tudo menos um pequeno susto. Inês, e tantos outros, ficaram sem casa, pelo menos 30 pessoas perderam a vida, muitas ficaram feridas e ainda se contam algumas desaparecidas. Todas pertenciam a uma classe social baixa ou média-baixa. Perderam o pouco que tinham.
Um incêndio ainda com causas desconhecidas, um prédio cheio de problemas tantas vezes reportados pelos residentes, uma lei que beneficia proprietários, uma construção que precisa urgentemente de ser repensada.

Inês, depois de uma noite em claro, momentos traumatizantes, de um futuro incerto e com pouco mais do que a roupa do corpo, cumpriu o seu objetivo e fez o exame que pode conduzi-la a um futuro melhor. Inês ensinou-nos o verdadeiro significado de coragem e resiliencia... porque a vida tem de continuar...

Para ajudares a Inês Alves e a sua família clica aqui.

1 comentário:

  1. Olha e eu tambem escrevi sobre isto... aproveitei um rascunho antigo sobre um filme que fomos ver o ano passado e fiz o post... Nao somos mesmo nada e isto pode acontecer a qualquer um de nos. A Ines e um grande exemplo para todos nos!
    Bjinhosss e bomfim de semana*
    https://matildeferreira.co.uk/

    ResponderEliminar