23.5.17

Querida C.

Darmos um mano/a à tua irmã fez sempre parte dos nossos planos, meus e do teu pai, porém o nosso chão estremeceu no final de 2012 e princípio de 2013. A vida é um grande desafio e temos de lutar com as ferramentas que temos na mão. Não devemos, não pudemos, contar com mais do que a nossa própria força interior, disponibilidade e capacidade de enfrentar os problemas e dar-lhes soluções. Não acredites em momento nenhum que não és capaz nem deixes nunca que te convençam disso. Decidimos que nada nem ninguém nos podia arrancar este nosso sonho, de te ter, de engrandecer a nossa vida com mais um filho, de dar à tua mana uma companhia para sempre.


Tinhas de nascer. Foste uma gravidez de incertezas que quase abalou a confiança da decisão que tínhamos tomado. Nasceste. Fomos separadas por complicações. Os teus primeiros dias de vida foram penosos para ti e para nós, estavas ali tão perto mas ao mesmo tempo tão longe, separados pela angústia do futuro que parecia tão incerto. 
Hoje, quando te vejo, tão alegre e cheia de vida, tão cheia de amor para nos dar, não te reconheço naquela unidade de cuidados intensivos tão pequena e tão cheia de tubos, numa vida frágil e insegura. Educar-te tem sido um orgulho para nós. És a que mais tem este espírito de família que tanto me enche o coração quando em alto e bom som convocas um "family hug" e removes-nos do que estivermos a fazer para nos abraçarmos todos num abraço só. Tudo fica pequeno e sem importância, nada é mais urgente do que responder ao teu apelo. És tu a personalização do espírito desta família. És tu que nos manténs ainda mais unidos. Tu, que partilhas o pouco que tens, seja um doce, um pedaço de pão ou uma batata frita, partilhas com todos e insistes se parecemos em dúvida. Nesse teu pequeno coração cabe este mundo e o outro mas sabes bem a quem dar amor e não vais em qualquer sorriso, em qualquer cantiga que te queiram cantar. És a melhor versão de mim e és a melhor resolução que alguma vez tomei na minha vida, mesmo quando o mundo pareceu desabar.

13 comentários:

  1. E uma guerreira! sao estes exemplos que me dao coragem para acrditar, assim como o do meu menino, que nasceu abaixo do peso, com os niveis dos açucares em baixo,e no segundo dia foi fazer electrocardiogramas... os 2 primeiros meses dele foram uma luta constante mas ele ca esta :) Adoro o "family hug" da C. Continua assim, pequena guerreira :)
    Bjinhosss
    https://matildeferreira.co.uk/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ♥ custa tanto vê-los sofrer, em especial assim tão pequeninos...
      São mesmo guerreiros ;)

      Beijinhos

      Eliminar
  2. Também me sinto honrada por conhecer um ser pequeno mas tao grande de coração. Lembra-me tu há muitos anos atrás...e quando o ano passado fui mais aceite no seu mundo foi tão especial. Obrigada C. por cá estares assim tão ENORME.
    Beijo especial da "tia" Nádia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh minha amiga... também a acho tão parecida comigo... mas ainda melhor que eu ♥ Serás sempre aceite por esta família que gosta muito de ti com todo o coração.

      Beijinhos

      Eliminar
  3. Também me sinto honrada por conhecer um ser pequeno mas tao grande de coração. Lembra-me tu há muitos anos atrás...e quando o ano passado fui mais aceite no seu mundo foi tão especial. Obrigada C. por cá estares assim tão ENORME.
    Beijo especial da "tia" Nádia 😍

    ResponderEliminar
  4. História parecida com a minha pois o Gonçalo também ficou internado muitos dias depois de eu ter alta do hospital.
    Mas neste domingo fez 14 anos e é saudavel, um querido e meigo que ainda gosta dos beijinhos e abraços da familia.
    Beijinhos
    Marta
    https://pitinhosdamarta.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não sei se conseguia sair do hospital com as mãos a abanar :( Felizmente a C. recuperou depressa e eu consegui trazê-la comigo ♥

      Beijinhos

      Eliminar
    2. Pois mas o Gonçalo teve de ficar internado 10 dias:( e eu não podia ficar. Mas estava lá de manhã à noite com ele. E depois tinha o André com 7 anos e não podia descurá-lo.
      Beijinho

      Eliminar
    3. Claro querida Marta, obviamente que não tiveste grandes alternativas... mas deve ter sido um enorme desgaste emocional e um grande pesadelo. Felizmente tudo foi superado e agora é um adolescente feliz 💛

      beijocas grande

      Eliminar
  5. Fiquei com a lágrima no canto do olho depois de ler este testemunho, tão intenso, tão profundo e tão cheio de vida e de amor. O importante é que a tua C. está bem, é uma menina saudável e feliz! E que assim seja sempre!
    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem dúvida... os seus primeiros dias são uma lembrança tão distante que às vezes até me esqueço como tudo começou ♥

      Beijinhos

      Eliminar
  6. Como prematura que sou... estou de lagriminha no canto do olho :)

    Beijinhos a todos,

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ♥ és uma lutadora... já nasceste para a luta ;)

      Beijinhos

      Eliminar