22.4.17

momentos [quase] perfeitos

Os planos de última hora não os melhores. Foi na sexta-feira (7 de Abril) que pensei em irmos passar o fim de semana fora e foi logo de manhã que decidimos onde ir e onde ficar. Plymouth foi o primeiro destino e foi também onde tínhamos marcado o quarto. Um quarto familiar com duas camas king size, o delírio total das miúdas que ficaram excitadíssimas com tanta novidade.
O sol brilhou e aqueceu-nos até à alma. A viagem foi cansativa, apanhámos muito trânsito devido a um grande acidente que houve numa zona que não conseguíamos evitar. Pelo caminho ainda tivemos oportunidade de visitar Stonhenge com os olhos, observar campos e campos amarelos, rebanhos carregados de ovelhas bebés, cavalos malhados, "plantações" de porcos, a vida no campo corre lenta para os animais que alternam a sua azáfama entre o dormir e o comer. Abrimos os pulmões para respirar, é difícil nos afastarmos dos horários, do "tem de ser" e do "precisamos de ir", não existe botão de "pausa" na vida, mesmo que ela queira abrandar o ritmo não há tempo para ficar ali, apenas a contemplar a paisagem, o sol teima em querer pôr-se, as estrelas fazem questão de iluminar as noites e os dias passam igualmente apressados para nós.







Plymouth é uma cidade tranquila. Pela primeira vez vi, aqui, esplanadas à beira-mar a lembrar Portugal, cheias, como seria de esperar. Uma cidade onde se faz pesca no meio do caminho, onde se pára para ver o sol cair, onde se sente o vento fresco mas libertador, onde se fala (também) português e onde se ouve o samba num rádio de pilhas. O centro da cidade é triste e abandonado mas a sua marginal acolhe os visitantes com entusiasmo, faz de cenário a selfies, vê passar os barcos e encarrega-se de espalhar a brisa com sabor a churrasco.
Saímos de Plymouth sem ver o pôr-do-sol mas apanhámo-lo pelo caminho no regresso ao hotel.





O primeiro dia da nossa pequena viagem foi cansativo pela longa distância percorrida e cheia de contratempos, mas valeu a pena. Como vale sempre a pena pôr um sorriso nas caras delas, enchê-las de coisas para contarem, vê-las correr livremente a abraçar o vento e a agradecerem todo o nosso esforço ao caírem na cama eufóricas mas exaustas. (a continuar)

 

2 comentários:

  1. Adorei as fotos :) Faz lembrar Southend-On-Sea que tambem recomendo :)
    Bjinhosss
    https://matildeferreira.co.uk/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Southend-On-Sea é mais uma estância balnear, também já lá estive, fica a pouco mais de uma hora de onde vivo :).
      Plymouth vive muito dos estudantes por causa da Univercidade que é uma das maiores da zona. A própria cidade tem uma vertente cultural bastante vincada ;)

      Beijinhos

      Eliminar