14.3.17

de ♥ [quase] perfeita ♥ a chegada de um bebé

Quem me acompanha sabe bem que gosto muito de decoração e quem me conhece um bocadinho também saberá que tenho formação em Design de Equipamento e Arquitectura que são duas vertentes muito ligadas (também) aos interiores. Poucos provávelmente saberão que o meu percurso profissional passou pela decoração de espaços infantis onde fiz desde o design dos moveis até ao design da colcha passando por pequenos detalhes como molduras, candeeiros, etc. Hoje reuno toda essa minha formação e experiência e inauguro uma nova rubrica aqui no blogue sobre decoração e começo, como não podia deixar de ser, pelos espaços para os mais pequenos. Espero que gostem ;)




Quando se espera um filho, a vontade de que esteja tudo perfeito para a sua chegada é comum ao pai e à mãe. Criar um espaço que lhe traga tranquilidade nos seus primeiros anos de vida é uma prioridade. Embora na maioria das vezes o recém-nascido passe os primeiros meses no quarto dos pais é fundamental pensar que, muito em breve, ele ocupará o seu próprio espaço na casa. A decoração do quarto do bebé passa então a ter lugar de destaque nos 9 meses de espera.


O uso de cores claras, que tornem o espaço calmo e acolhedor, são a opção mais coerente para acolher um recém-nascido. O estilo decorativo e o tema pretendido são outro desafio que os pais terão de enfrentar, mesmo desconhecendo ainda as preferências da criança, cabe-lhes a eles decidir cada detalhe de acordo com a sua intuição e preferência.


Depois de escolher os tons a usar, o estilo decorativo e temático, há que começar por revestir as paredes. Entre pintar ou utilizar papel de parede as escolhas dividem-se e muitas são as vezes em que se faz uma mistura de ambos utilizando o papel de parede em uma ou duas paredes mais especificas e tinta, num tom a condizer, nas paredes restantes.
Hoje em dia as opções de papel de parede para ambientes infantis são vastas e por vezes padrões como riscas, pintas e xadrez, não sendo motivos marcadamente para bebés ou crianças são ótimos para quartos mistos ou onde se tem de jogar com diferenças de idade. Assim como, ambientes monocromáticos, estes são mais minimalistas e agradam a ambos os sexos sendo também facilmente adaptáveis a todas as idades, podendo posteriormente fazer-se uma distinção através dos detalhes que se adicionam ao espaço mais destinado a cada bebé, criança ou adolescente.

Na minha opinião particular a útilização apenas de tinta nas paredes é a opção mais fácil de concretizar e manter, e também a mais barata. Limpar ou retucar uma parede pintada é seguranmento mais simples do que uma na qual foi aplicado papel de parede.



Encaixar um novo elemento na vida, na família e na casa pode ser um desafio para os pais mas com muito amor tudo se consegue. O ideal é não dar importancia demais a um em deterinimento de outro e, se o bebé for ocupar o quarto de um irmão/irmã mais velho ter a certeza que o espaço de cada um fica bem definido e respeitando o gosto de quem já o habita.

Estas são algumas dicas que podem ajudar a decidir a decoração do cantinho para o mais novo elemento da família, mesmo que a falta de espaço o obrigue a partilhar a sua sesta com o seu irmão ou irmã, ambos podem ter a sua área da casa personalizada à medida de cada um.

Para dúvidas, ideias e soluções encontram-me aqui

Deixo  algumas sugestões de pequenos elementos decorativos que podem ajudar a identificar e enquadrar melhor o espaço destinado ao bebé:


2 comentários:

  1. Confesso que adorei o primeiro. Não é comum ver o preto como cor dominante num quarto infantil mas, quando bem conjugado, o resultado é incrível. No entanto, tenho que dizer que me rendi à parede de ardósia, e acho que os miúdos vão concordar comigo =)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cada vez gosto mais da introdução de elementos pretos na decoração de espaços brancos ou pelo menos claros. É uma cor versátil, elegante e que não cansa ;)
      Uma parede assim é o sonho de qualquer criança... até eu não me importava de ter uma :P

      Beijinhos

      Eliminar