10.11.16

o que é afinal um blogue pessoal?



Este blogue começou por ser um blogue de vida. Veio no seguimento deste que decorreu deste. O nome mudou, o aspecto visual mudou e eu, acima de tudo eu, mudei, mudei muito, por isso também a minha escrita mudou assim como os assuntos que vou abordando.
Digo que foi, e sempre será, um blogue pessoal porque, não importa muito sobre o que eu escreva, ele relaciona-se sempre, ou pelo menos na grande maioria das vezes, comigo, com a minha experiência pessoal, a minha aprendizagem e as minhas opiniões bem pessoais.

Hoje em dia  fala-se muito de blogues e do tipo de blogue que se tem e tenta-se rotular tudo, desde a pessoa que lê o blogue, ao assunto que ele aborda, ao seu design, etc.
Porém a vida muda, nós mudamos, e é normal que o nosso blogue também mude. Se se criou um blogue aos 16 anos e nessa altura falava-se de outfits teen, maquilhagem com purpurina e borrachas com formas engraçadas. Quando se arranjar emprego isso deixa de fazer sentido. Quando se casa e/ou se é mãe, isso passa a fazer ainda menos sentido e por isso os assuntos vão mudando. Esse blogue, que antes era de adolescente para adolescentes, cheios de dicas e técnicas para estudar e manter o namorado. Passará a ter review de produtos para bebés e manuais de sobrevivência à depressão pós-parto.

Neste sentido pergunto, como rotular um blogue vivo? Um blogue que cresce connosco?

Cada vez há mais blogues específicos, específicos demais na minha opinião. Um blogue de moda por exemplo, bombardeia-me com outfits, diz bem de 30 batons e 50 cremes hidratantes, mas um blogue assim é demasiado redutor para mim, que quero muito mais de um blogue do que mero consumismo. Talvez gostasse de encontrar dicas para o meu tipo de corpo sem ter de ler 30 artigos com roupas para pessoas fit e pele normal. Mas, no caso de um blogue assim, ele provávelmente passaria a ser um blogue pessoal porque se fixaria numa suposta minoria que, provávelmente, assentaria no caso da blogger ter o mesmo tipo de corpo e de pele que eu.

Quando eu criei o meu primeiro blogue todos os blogues, tirando aqueles associados a websites de empresas, eram blogues pessoais. Ser blogger era uma vontade e não um negócio e o que cativava à leitura era mesmo a experiência pessoal de cada blogger e o que podíamos ou não aprender com ela. A pluralidade de assuntos era o que fazia um blogue um espaço interessante e nós, leitores, tentávamos encontrar afinidades com este e aquele blogger e marcávamos presença todos os dias comentando e esperando a resposta.

Neste meu blogue, no presente, fala-se de ser mãe, de manter uma certa sanidade mental e coerência emocional como mulher e cidadã do mundo, fala-se dos sonhos, da motivação e força em concretizá-los, fala-se dos filhos e das necessidades deles, fala-se de como superar os obstáculos e não perder os remos, fala-se de relacionamentos, de viver num país estranho quando se tem o coração preso ao mar da costa Portuguesa, fala-se de viver em família e de criar um lar, fala-se de manter a chama acesa, a da vida, a do amor e a de se ser, acima de tudo, mulher.

Se este blogue tem um público alvo? Tem, tem aquele que se identificar com o blogue.

Frequento inúmeros grupos de bloggers, na maioria americanos, - porque os portugueses seguem o mero propósito de autopromoção - em todos eles tenho aprendido muito mas em todos vejo este estereotipar do que se escreve. Primeiro dizem que devemos escrever com a alma na caneta (teclado) depois condicionam a escrita a temas demasiado específicos sobre pena de nunca chegarmos aos 1000 followers nas redes sociais... O que é a blogosfera afinal? No que se tornou? Onde irá chegar?

Na minha opinião, e respondendo directamente à pergunta do título do post, um blogue pessoal baseia-se em factos reais, baseia-se em experiências pessoais. Pelo que, falando mais de viagens, de outfits, de animais, ou maternidade, um blogger que escreve do ponto de vista pessoal tem, acima de tudo, um blogue pessoal.

4 comentários:

  1. Adorei este teu post porque me revejo muito no que dizes. O único tipo especifico de blog que procuro é de culinária porque ando sempre à procura de receitas e acho que são melhores que os sites. De resto gosto do que dizes, de ler sobre o que a cabeça da pessoa que está atrás do teclado pensa. Seja um tema tonto, seja algo mais sério.
    O meu também é sobre mim, a minha vida e os meus gostos.
    Não escrevo para um publico alvo, escrevo porque gosto, e confesso, quando estou para aí virada gosto de escrever textos que me façam rir, e aos outros também.
    Do meu blog só gostava de tirar uma coisa, que é grande, é certo, que me abrisse as portas para o mundo das editoras, que me abrisse as portas para ter uma crónica nem que fosse no Jornal regional do Minho.
    Beijinhos

    http://embuscadafelicidade.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. e eu farto-me de rir com os teus textos... são reais, pessoais e positivos. Cheios de personalidade, criatividade e humor... fazem me lembrar que também já escrevi muito mais assim do que agora escrevo e por isso gosto de voltar porque encontro detalhes com os quais me identifico...
      Oxalá encontres o espacinho que procuras para as tuas crónicas ;)
      Beijinhos

      Eliminar
  2. 1000000% de acordo!
    A blogoesfere mudou tanto nos ultimos anos.
    Eu no que me toca, tento manter o meu blogue o mais pessoal possivel; sao tb esses os que mais aprecio ler.
    Para publicidade, ja basta o que da na TV.

    Beijinhos!

    www.portysdiary.blogspot.com

    ResponderEliminar
  3. Concordo a 100%.
    No meu caso, a fotografia é sempre um pretexto, para abordar qualquer assunto... e ganhar mais visibilidade com o blogue, no caso de eventualmente um dia, também pretender abrir uma loja on line...
    Entretanto vai-me servindo de ponto de contacto, com imensa gente inspiradora, a vários níveis... e em diversas áreas... e com quem aprendo todos os dias, um pouco mais...
    Beijinhos
    Ana

    ResponderEliminar