21.5.16

momentos [quase] perfeitos



Os dias têm sido de muito trabalho, e as horas com elas, preciosas. Sentimos o tempo a escorrer-nos por entre os dedos, elas a crescer depressa demais e nós a envelhecer... também depressa demais. Sabemos que não vamos sentir mais o cheiro de um bebé, sabemos que não iremos motivá-lo a gatinhar, levantar-se, andar, levar a comida à boca, mas isso faz parte das nossas escolhes, pior é sentir saudades do que já passou e pensar que podiamos ter aproveitado mais, observado mais, vivido mais descontraidamente cada momento. Talvez... Temos sempre tantas escolhas para fazer e tanto que abdicar e mesmo assim, no fim, sentimos sempre falta de algo. Nesta coisa da parentalidade, nunca é suficiente o tempo passámos com eles mas parece muitas vezes demais o que passamos. A vida não pára, nós tendemos a não apreciar os momentos no presente e sim no passado, nas fotografias, nas memórias e muitas vezes na pena que temos por já não nos conseguirmos lembrar de cada detalhe.






3 comentários:

  1. Tão lindas! É verdade, o tempo passa mesmo rápido demais. Mas acredito que se faz e aproveita-se, o melhor que se pode e consegue... também sei que parece sempre que foi pouco, que se poderia ter feito diferente... é normal. O tempo poderia mesmo passar mais devagar, não é ? :)

    Um beijinho, querida Cris

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pelas tuas queridas palavras Cláudia. De facto o tempo parece voar, principalmente o tempo que passamos com elas. Devia passar muito mais devagar sim... se possível ainda deviamos poder fazer "freeze", naqueles momentos mais especiais, só para conseguirmos decorar com mais detalhe cada pormenor.

      Beijinhos

      Eliminar