19.11.15

no país das tecnologias ♥ escolha do telemóvel


A troca de telemóvel tinha sido adiada de um dia para o outro e depois foi adianda para depois das férias e finalmente vim de férias cheia de coragem para enfrentar e resolver o problema.
Sendo eu uma leiga na matéria tento sempre me informar um pouco do que anda por aí no mercado que é para não fazer (muita) asneira. Portanto não se excitem muito que eu não vou dar aqui uma lição sobre tecnologias vou apenas contar como escolhi o meu novo telemóvel e os errofs que dei em toda esta transacção, só para que vocês não façam as mesmas burradas que eu.
Quando fiz a assinatura do plano que subscrevi há mais de dois anos atrás, procurava não um telemóvel topo de gama mas sim um bom plano que me desse o máximo de Gs de internet possível. Encontrei um plano com internet ilimitada a um preço bastante bom que vinha com o iPhone 4S, já na altura tinha saído o iPhone 5 e estava para sair o 5S. Nunca foi minha intensão comprar um iPhone mas o facto de ter sempre internet fez-me decidir por ele.

Mais de dois anos depois o telemóvel já não tinha capacidade para tanto app e tanta modernidade. Com muida relutância lá disse adeus à minha internet ilimitada e me rendi aos miseros 4G que a minha operadora tinha para me oferecer. Tive então algum cuidado na escolha do telemóvel. Precisava de algo com um monitor maior, uma máquina fotografica com boa resolução, espaço de armazenamento q.b. (minimo 32G) e um processador mais ou menos. Procurei comparações entre iPhone 5S, Sony Xperia Z3 e Samsung S5. O iPhone ficou logo fora de questão, extremamente caro e em todos os items ficava aquem de qualquer um dos outros. Entre o Sony e o Samsung a escolha foi resolvida pelo melhor plano que cada um me proporcionasse. Ganhou o Samsung, porém não fiquei totalmente satisfeita e se fosse hoje colocaria algumas considerações em causa. Do telemóvel em si não tenho razão de queixa, embora seja um pouco grande para a minha mão, que é pequena, não se pode ter tudo, um monitor grande num telemóvel pequeno é uma utopia. Porém fiquei convencida de que, se tivesse mudado de operadora em vez de ter optado por um upgrade, teriam me oferecido melhores condições a um melhor preço. Levou-me ainda a concluir que, daqui a 2 anos, se fizer novo upgrade (que não farei) vou pagar uma mensalidade megalomana tendo em conta que a que pago agora subiu considerávelmente para valores que nunca pensei fosse pagar por estas maquinetas.

Concluo assim que, se tivermos dinheiro para investir num bom telemóvel que não fique ultrapassado nos próximos 4 anos, ficamos com um telemóvel livre de operadoras e podemos escolher o SIM da operadora que melhor opções nos proporcionar por menos dinheiro, ou seja, conseguimos mais por menos. No caso de não haver dinheiro para tal investimento a melhor opção é mesmo mudar de operadora e fazer um novo contracto de 24 meses, ao fim dos 2 anos de fidelização, voltar a mudar, e assim por diante. Com isto não é preciso mudar de número de telemóvel, basta pedir um código, que chamamos aqui de pack code, à operadora que estamos a abandonar e transferir o número para a nova operadora através desse código.

Sem comentários:

Enviar um comentário