1.8.15

Adeus Julho



Encerra-se mais um mês. Damos as boas-vindas ao mês do calor, das férias, dos amores de Verão. Este seria um mês diferente se estivessemos em Portugal, talvez seja o que mais saudade me deixa. Foi este o mês de fazer as malas, o mês da despedida, das tardes de praia, de ler para ti, dos últimos cafés à beira-mar, as churrascadas com os amigos, o calor e os dias longos. É este o mês da nostalgia. Aqui, é este o mês do trabalho, o mês em que fico mais só, em que elas ficam mais tristes e frustradas porque, ironia das ironias, apesar do bom tempo, saimos menos. 
Vai ser o mês de preparar o mais possível as coisas do casamento. As amigas já estão convocadas e os dias vão ser preenchidos com papeis, feltros, linhas e agulhas. O carteiro vai trazendo encomendas de material e as coisas vão se tornando realmente reais.

O mês nostálgico, das saudades dos momentos que nunca se irão repetir, o mês da despedida de uma realidade descontraída (talvez demasiado descontraída), o mês da verdadeira mudança, tudo deixou de ser como conheciamos. Vai ser este mesmo mês que vai ser marcado pela preparação de uma nova mudança, desta vez uma mudança pequena, apenas um detalhe, um detalhe numa vida a dois que ajustará pequenas linhas da vida a quatro. Não deixará, no entanto, de ser um mês carregado de doces memórias e profundas emoções, assim se prepara um casamento, pelo menos o meu, porque é essa a história que queremos deixar. A história dos porquês das escolhas, a nossa história...

Julho não deixa saudade. Tivemos momentos deliciosos entre amigos, amigos que abraçamos cada vez mais apertado, amigos que não nos fazem esquecer que, por muito dificeis que sejam os dias , há momentos de facto (quase) perfeitos e é deles que reza a nossa história. Das dificuldades de Julho deixamos para o tempo apagar ou fazer esquecer. Às vezes também precisamos delas para darmos valor ao que temos de bom e para não esquecermos que os seres vivos em geral não são eternos e que temos de tirar o devido partido deles enquanto os temos connosco e mimá-los... é tão bom...

photo by | foro de: Olga Surikova

Sem comentários:

Enviar um comentário