22.3.13

A sábia arte de saber esperar


Esta semana tem sido cheia, cheia de consultas, pensamentos e interrugações. 
Comecei a ler um livro que, supostamente, me incentivaria e ajudaria a criar um plano para desenvolver o meu negócio. Pois no inicio do livro - que tenho lido com mente e coração aberto - em resposta a algumas questões colocadas pela autora dou por mim  a perguntar-me se é isto que eu quero fazer o resto da minha vida. As dúvidas assaltaram-me e num determinado momento questionava-me mesmo se estaria vocacionada para um trabalho criativo ou, se antes, o meu destino seria cumprir ordens e seguir metodos racionais. Felizmente temos hoje a internet que quase responde a todas as nossas dúvidas, até nas existênciais pode dar uma mãozinha. Procurei uns testes psicotécnicos, tal como fiz há mais de 20 anos atrás, e o resultado não foi diferente do de há quase 20 anos atrás - nem tudo está perdido! Fiquei a saber que estou na praia certa resta saber que onda apanhar... 
Ontem tive a feliz visita de uma amiga cujas dúvidas em comum nos levaram a pensar em juntar energias para combater as mesmas incertezas que assolam ambas. O facto de saber que não estou sózinha nesta procura da carreira certa, aquela pela qual me apaixonarei e que só por isso me garantirá sucesso, deixa-me mais calma e carregada de esperança e motivação.
Sempre soube que sou movida por paixões. Também na área profissional as tive e como a maioria das paixões, - antes de encontrarmos e que nos levam a encontrar "A TAL" - chega o dia da desilusão, o dia do "let it go". Assim aconteceu com a Arquitectura. Hoje entendo que desde então tenho tido alguns namoros mas nenhum deles me tirou/tira a respiração, nenhum me faz correr atrás ou acordar para um dia de trabalho... Últimamente as minhas paixões têm sido geridas em torno da casa e da família, são elas que me fazem acordar para um novo dia. Mas não chega... uma carreira apaixonante é uma forma de realização pessoal e eu preciso disso da mesma forma que preciso de sentir esta paixão pela minha pequena família e o desejo de estar com ela. Esta sou eu! Uma pessoa apaixonada pelas paixões da sua vida.

Hoje sei o que antes-de-ontem dúvidava - um dia irei apaixonar-me de novo. Esse dia será quando deixar de procurar dentro de mim e abrir os olhos para o que está à minha volta.

Sem comentários:

Enviar um comentário